Município inicia conversações para incrementar o Sine

Órgão em Timóteo possui histórico bem-sucedido na realocação de trabalhadores, na capacitação e qualificação profissional
PMT
I018831.jpg
PMT_Sedese_Sine

A reativação do Serviço Nacional de Emprego (Sine) em Timóteo foi tema de uma reunião envolvendo o prefeito Douglas Willkys, a secretária de Assistência e Desenvolvimento Social, Rosanna Moura, o secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Hiler Félix, a diretora regional da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), Aline Castro, e a assistente social Elizângela Sato.

O Município de Timóteo mantêm um convênio desde 2017 com a Sedese na manutenção do Sine, disponibilizando inclusive uma servidora para prestar orientação no local. Entretanto, o serviço necessita de mais pessoal para atender a demanda que além de Timóteo, recebe moradores de Antônio Dias, Dionísio, Jaguaraçu, Córrego Novo e Marliéria. O Sine funciona no mesmo endereço (só que em andares diferentes) da Sedese, na avenida Almir de Souza Ameno, 20ª, no bairro Funcionários. 

De acordo com Aline Castro, o Sine de Timóteo possui um histórico bem-sucedido na realocação de profissionais e na capacitação e qualificação, sendo uma referência na região por isso. “É importante reativar o Sine para a captação de vagas nas empresas e alocação de profissionais”, disse Aline. O órgão atua também na emissão de carteira de trabalho, dentre outros serviços ligados ao emprego.

O prefeito Douglas Willkys adiantou que tem todo interesse em fazer o Sine se tornar novamente uma referência e que essa posição vai ao encontro da sua gestão na geração de emprego e renda. “Nossa meta nesse ano é que a geração de empregos no município volte a crescer”, resumiu o prefeito, mencionando que levantamentos no Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) apontam que desde 2012, o Município não consegue gerar mais empregos em relação às demissões.

O prefeito em conjunto com os secretários de Assistência Social e de Desenvolvimento se comprometeu a encontrar alternativas para retomar o funcionamento do Sine em sua plenitude.
 

 

Fonte : PMT

Compartilhe: