13/03/2017 - 18h01
Encontro capacita gestores para receber observadores de pássaros
Iniciativa está dentro da promoção do ecoturismo regional


PMT
I009528.jpg
Turismo

Timóteo foi palco de discussões para o Desenvolvimento de Destino Turístico para Observadores de Aves na última segunda-feira (13/03), encontro técnico que reuniu os principais representantes da área de turismo do Vale do Aço. Na abertura do evento, o vice prefeito de Timóteo, Carlos Vasconcelos, atual secretário de Planejamento, Gestão e Desenvolvimento Econômico, ressaltou a importância do fomento de iniciativas que promovam o ecoturismo e valorizem o potencial que a região tem.  O presidente da Fundação Aperam, Venilson Araújo Vitorino, enfatizou a necessidade de se “implementar ações que incluam o Parque Estadual do Rio Doce (PERD), principal chamamento para o turismo”.

Entre os parceiros do encontro, o Sebrae,  foi representado pelo analista técnico Alessandro Lima Challub. Ele citou a diversidade de aves brasileiras, que coloca o país como o segundo maior do mundo, com 1.901 espécies conhecidas . Challub falou ainda sobre a pesquisa de mercado realizada para identificar como o turista via o Vale do Aço antes da implantação do projeto Turismo no Vale. O resultado da pesquisa mostrou que a população não conhecia a sua região. “Com o trabalho técnico, estruturado, as discussões sobre o turismo começam a dar resultados com a diversificação da economia, a criação de novos atrativos para melhorar a vida da região ”, comentou.

Conexão

A bióloga Tietta Pivatto, especialista em Meio Ambiente e Ecoturismo fez palestra sobre a Região como Destino da Observação de Aves e realçou a importância socioambiental da atividade tanto no peso relevante para economia da região, como na contribuição da consciência de preservacionista. “Além da conexão com a natureza, a observação traz encantamento, viagens, adrenalina, cultura ambiental, respeito. É uma terapia e também um estilo de vida de pessoas que sentem prazer em colecionar imagens de aves vivas”, frisou. Tietta enfatizou que as aves livres são um novo conceito da sociedade moderna e a Observação leva as pessoas de volta ao contato com a natureza. Citou ainda os “Lifer’s”, pessoas que viajam para determinadas localidades para fotografar espécies que ainda não viram de perto. 

Ao falar sobre o Receptivo e a Observação de Aves, Frederico Crema, guia naturalista especialista em observação de vida selvagem há 24 anos, afirma que a Observação de Animais Silvestres vem crescendo no Brasil inteiro. “A sensação de ver um animal na natureza pela primeira vez é o que me motiva a continuar trabalhando com isso”, conta Crema que realiza palestras fora do país. Segundo ele, só o PERD tem metade das espécies do estado de Minas Gerais. “O ecoturismo é uma forma de ampliar a conservação da natureza e estimular o turismo. A Obsevação é  apenas um dos instrumentos”, completa Crema.

Projeto Mutum

A experiência da Fazenda Macedônia foi apresentada pelo geógrafo Júlio Madeira, técnico em relações Institucionais do Instituto Cenibra. A reintegração de aves silvestres ao seu habitat natural como o Mutum (que dá nome ao Projeto), Macuco, Capoeira, Inhambuaçu, Jacuaçu, Jacutinga e o Jaó, todas espécies ameaçadas de extinção. Há 27 anos, o projeto Mutum vem sendo desenvolvido na Fazenda Macedônia, localizada em Ipaba, numa cooperação com a Sociedade de Pesquisa do Manejo e da Reprodução da Fauna Silvestre (CRAX).

O evento contou com a parceria da Prefeitura de Timóteo, Parque Estadual do Rio Doce (PERD), Projeto Turismo no Vale, Fundação Aperam, Instituto Cenibra, Circuito Mata Atlântica de Minas e Sebrae.


Fonte : PMT





VEJA TODOS COMENTÁRIOS


ATENÇÃO: Este comentário será moderado, podendo ser aprovado ou não. Evite palavras que posSAM comprometer sua imagem.

Nome:
Email:

Enviar