01/09/2017 - 17h01
Timóteo resgata momento cívico
Sete de setembro será marcado por caminhada de estudantes, Policia Militar e Bombeiros


PMT
I011000.jpg
Momento Cívico

Resgatar o momento cívico na cidade e mobilizar a população para cultivar a tradição é a meta da Prefeitura de Timóteo, por meio da Secretária de Educação e Cultura, para o dia 7 de setembro, Dia da Independência do Brasil. A última caminhada cívica realizada pelo município foi em 2013.

“Fizemos questão de resgatar este momento cívico por entendermos ser um direito dos cidadãos de expressarem seu amor à pátria e seu desejo de que a nação prospere tantos em termos econômicos quanto nos valores sociais e humanitários”, salienta o prefeito de Timóteo, Dr. Geraldo Hilário, reafirmando que o compromisso com o desenvolvimento da Pátria é, sobretudo, um compromisso com as pessoas. O prefeito fez questão de frisar que sua administração traz a marca desse projeto de cidadania: “Primeiro as Pessoas”.

As atividades do feriado terão início às 8h da manhã com a caminhada de estudantes saindo da Praça das Palmeiras, passando pela Alameda 31 de Outubro, contornando o Centro até o Ginásio Coberto, com previsão de término ao 12h. O evento deverá envolver cerca de 2 mil participantes, entre estudantes das escolas municipais, estaduais e particulares, creches, entidades comunitárias, sociais e religiosas, iniciativa privada e ainda a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros.

“As escolas não devem perder a tradição desse espírito patriótico. Quem ama seu país, protege e cuida”, enfatiza a Secretária de Educação e Cultura, Guaraciaba Martins, acrescentando que “toda a população está convidada a participar deste momento importante”. Este ano, a caminhada cívica terá como tema: “Brasil: quem ama, cuida”. Após a caminhada pelas principais ruas da área central, muitas atividades estão programadas para ocorrerem no Ginásio Coberto.

História 

A Independência do Brasil é um dos fatos históricos mais importantes de nosso país, pois marca o fim do domínio português e a conquista da autonomia política. Muitas tentativas anteriores ocorreram e muitas pessoas morreram na luta por este ideal. Podemos citar o caso mais conhecido: Tiradentes. Foi executado pela coroa portuguesa por defender a liberdade de nosso país, durante o processo da Inconfidência Mineira.

Em 9 de janeiro de 1822, D. Pedro I recebeu uma carta das cortes de Lisboa, exigindo seu retorno para Portugal. Há tempos os portugueses insistiam nesta ideia, pois pretendiam recolonizar o Brasil e a presença de D. Pedro impedia este ideal. Porém, D. Pedro respondeu negativamente aos chamados de Portugal e proclamou: "Se é para o bem de todos e felicidade geral da nação, diga ao povo que fico".

Após o Dia do Fico, D. Pedro tomou uma série de medidas que desagradaram a metrópole, pois preparavam caminho para a independência do Brasil. D. Pedro convocou uma Assembleia Constituinte, organizou a Marinha de Guerra, obrigou as tropas de Portugal a voltarem para o reino. Determinou também que nenhuma lei de Portugal seria colocada em vigor sem a sua aprovação. Além disso, o futuro imperador do Brasil, conclamava o povo a lutar pela independência.

O príncipe fez uma rápida viagem à Minas Gerais e a São Paulo para acalmar setores da sociedade que estavam preocupados com os últimos acontecimento, pois acreditavam que tudo isto poderia ocasionar uma desestabilização social. Durante a viagem, D. Pedro recebeu uma nova carta de Portugal que anulava a Assembleia Constituinte e exigia a volta imediata dele para a metrópole.
 
Este fato ocorreu no dia 7 de setembro de 1822 e marcou a Independência do Brasil. No mês de dezembro de 1822, D. Pedro foi declarado imperador do Brasil.


Fonte : PMT




Galeria


VEJA TODOS COMENTÁRIOS


ATENÇÃO: Este comentário será moderado, podendo ser aprovado ou não. Evite palavras que posSAM comprometer sua imagem.

Nome:
Email:

Enviar