13/11/2018 - 12h39
Apresentação musical e teatral marcaram abertura de Seminário em Timóteo
Creia comemorou 10 anos de atividades


PMT
G012829.jpg
Seminario Creia

O X Seminário de Educação Inclusiva realizado em Timóteo nos dias 9 e 10 de novembro reuniu 415 participantes entre educadores, familiares e profissionais que se desenvolveram com dedicação total à causa da inclusão. A cerimônia de abertura contou com as presenças de Venilson Vitorino, presidente da Fundação Aperam Acesita; Edvânia Andrade, diretora da Superintendência Regional de Ensino; José Vespasiano Cassemiro, vice prefeito; Leonardo Bicalho, presidente do Rotary Club Acesita; Vânia Lamas, presidente do Conselho da Pessoa com Deficiência de Timóteo e o prefeito Douglas Willkys.

Na abertura do evento (09/11), o prefeito Douglas Willkys parabenizou a equipe do Centro de Referência em Educação Inclusiva Pe. Jean Marie Lemaire (CREIA) que iniciou o projeto a partir de um sonho de fazer algo diferente pelas pessoas com deficiência. “Este é um trabalho que toca o coração. A superação é resultado de forças que foram se agregando em favor do bem comum, como a parceria da Fundação Aperam, do Rotary Club e de tantos outros que se encantaram com esse trabalho e vieram marcar os 10 anos de existência do CREIA”, disse.

O presidente da Fundação Aperam Acesita, Venilson Araújo Vitorino, salientou a importância do trabalho desenvolvido em prol das pessoas com deficiência em Timóteo. “A Fundação Aperam levou o modelo do Seminário de Educação Inclusiva realizado pelo CREIA a quatro cidades no Vale do Jequitinhonha”, falou.

Os alunos com baixa visão, cegos e surdos do Creia e alunos da Apae Timóteo deram um show de alegria com apresentação de danças, canções interpretadas com entusiasmo e depoimentos performáticos. Tudo traduzido pelas intérpretes em Libras que acompanharam o espetáculo do início ao fim.

De acordo com a diretora do Creia, Deivia Mesquita, “Incluir não é favor, é dever. Não só porque é lei, mas, uma questão de sensibilidade e competência humana”.

“É neste lugar que a gente começa a abrir as portas para nossos filhos. Todos nós precisamos de uma oportunidade em algum momento de nossas vidas e, desta forma, presisamos que as habilidades sejam mais evidenciadas que as deficiências”, afirmou Vânia Lamas, presidente do Conselho Municipal das Pessoas com Deficiência de Timóteo.

As palestras programadas durante todo o sábado (10/11), evidenciaram plenamente a teoria e a prática da política de inclusão. Os participantes, na sua maioria educadores, reconheceram como a educação inclusiva é importante para a auto estima e para o resgate da cidadania das pessoas com deficiência dentro do processo de formação. 


 


Fonte : PMT