Conferência de Educação de Timóteo aprova 70 propostas para a etapa Territorial

Além das indicações foram eleitos os delegados do município
PMT
I028351.jpg
Conferência de Educação de Timóteo

Os participantes da III Conferência Municipal de Educação de Timóteo aprovaram, em plenária, 70 propostas para discussão na etapa Territorial e elegeram oito delegados que representarão o município. A próxima etapa acontecerá no dia 19 de fevereiro de 1022, em Caratinga. Promovida pela Prefeitura de Timóteo, por meio da Secretaria de Educação, Cultura, Esporte e Lazer, a conferência municipal foi realizada na quarta-feira (15) na Faculdade Única em Timóteo. 

Os delegados eleitos para representar o município na Etapa Territorial, no segmento Educação Básica são: Viviane Pontes e Rosely Rosa Miranda (trabalhadores); Milton Procópio de Moura e Cláudio Gualberto (gestores). No segmento Educação Superior: Fabrício Almeida de Castro (trabalhador); Elisângela Cristina Gomes Silva de Oliveira (estudante). No segmento Educação Profissional, a indicação feita pela Superintendência Regional de Ensino  foi Almir Silveira Barreiros, representante do Trabalhador , e Fabíola Ribeiro Jardim, do Estudante.

O encontro envolveu as redes pública e particular e teve como tema "Inclusão, Equidade e Qualidade: compromisso com o futuro da educação brasileira". Foram elencadas 10 propostas para cada eixo temático: “Democratização da Educação”; “Educação e Diversidade”; “Financiamento da Educação”; “Gestão Democrática”; “Políticas Intersetoriais e Desenvolvimento da Educação”; “Qualidade Social, Avaliação e Regulação das Políticas Educacionais”; e “Valorização dos Profissionais”.

Propostas

Após a discussão dos eixos nos grupos, foram apresentadas e aprovadas pela plenária da conferência, dez propostas por eixo, dentre elas:

I. Democratização da Educação – acesso, permanência, construção de conhecimento e terminalidade;
•    Ampliar o número de escolas e adequar o quadro de pessoal;
•    Acompanhar a oferta de apoio técnico pedagógico e propor o que for necessário na melhoria da qualidade da Educação Infantil.

II. Educação e diversidade – reconhecimento, democratização, direitos humanos, justiça social, equidade e inclusão;
•    Manter e ampliar ações que promovam a acessibilidade em todos os estabelecimentos de ensino da rede pública do Estado que apresentar demanda.  Cadastrar no PAR adequação arquitetônica, transporte escolar, material didático e tecnologias para atender os alunos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades ou superdotação, dislexia ou transtorno do déficit de atenção com hiperatividade (TDAH) ou outro transtorno de aprendizagem (lei 14254, de 30/11/2021)
•    Fomentar a interrelação entre o atendimento educacional especializado e o ensino regular de forma da que nenhum estudante com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades ou superdotação, dislexia ou transtorno do déficit de atenção com hiperatividade (TDAH) ou outro de aprendizagem (Lei 14254, de 30/11/2021) seja impossibilitado de permanecer no Ensino Regular.

III. Financiamento da Educação – gestão, transparência e controle social;
•    Ampliar e garantir a divulgação a partir de canais nas redes sociais do Conselho do FUNDEB e Comunidade Escolar dos dados dos recursos públicos aplicados na Educação;
•    Cumprir a constituição estadual, federal que estabelece o piso salarial pela jornada de trabalho existente no plano de cargos e salários entes federativos.

IV. Gestão democrática – participação popular e controle social;
•    Sensibilizar e conscientizar a comunidade escolar quanto a constituição e fortalecimento dos grêmios estudantis e associação de pais.
•    estimular os conselhos na fiscalização das atividades de gestão realizada com as verbas da educação nas escolas.

V. Políticas intersetoriais de desenvolvimento e Educação – cultura, ciência, trabalho, meio ambiente, saúde, tecnologia e inovação;
•    Realizar pesquisas da demanda para implantação dos cursos e investir em infraestrutura da UAB;
•    Mobilizar e investir em divulgação e facilitar o acesso aos cursos de graduação presenciais de Educação Superior.

VI. Qualidade social, avaliação e regulação das políticas educacionais;
•    Criar programas para qualificação dos professores, investir em monitoramento e valorização dos profissionais da educação;
•    Traçar estratégias de acompanhamento dos estudantes para aferir a alfabetização até o 3º anos do Ensino Fundamental elaborar projetos de alfabetização a fim de melhorar o desenvolvimento da aprendizagem.

VII. Valorização dos profissionais da Educação – formação, carreira, remuneração e condições de trabalho e saúde;
•    Estabelecer plano de carreira para os profissionais da educação e garantir a formação continuada para todos os trabalhadores da educação;
•    Contratação e nomeação de professor no uso da biblioteca em todas as escolas públicas.

Fonte : PMT

Compartilhe: