Município de Timóteo reivindica isenção de contas de água e luz e liberação do FGTS para as vítimas da enchente do Rio Piracicaba

A situação emergencial de Timóteo foi reconhecida pelo governo de Minas Gerais no dia 11 de janeiro por meio do Decreto NE nº 17
PMT
I028384.jpg
Ruas do Cachoeira do Vale foram tomadas pela água

O Município de Timóteo, por meio do prefeito Douglas Willkys e da Procuradoria-Geral, encaminhou ofício (nº 002/2022) ao governo do Estado de Minas Gerais solicitando a isenção das tarifas cobradas pelas concessionárias dos serviços públicos Copasa e Cemig a todos os consumidores residenciais, industriais e comerciais atingidos pela enchente do Rio Piracicaba que atingiu a cidade na última semana.

As intensas e volumosas precipitações pluviométricas que ocorreram em diversos pontos da cidade entre os dias 8 e 10 de Janeiro ocasionaram numerosos desastres, inundações, enchentes, deslizamentos de terra, alagamentos, colapsos em edificações acarretando na decretação de estado de emergência (decreto municipal nº 5.561) no último dia 10 de Janeiro.  A situação emergencial de Timóteo foi reconhecida pelo governo de Minas Gerais no dia 11 por meio do Decreto NE nº 17 publicado no Diário Oficial de Minas Gerais no dia 12 de Janeiro.

Em virtude da calamidade pública e como forma de minimizar os impactos financeiros para a recuperação dos estragos provocados pela chuva, o Município reivindica a isenção das contas de água e luz por três meses subsequentes às pessoas físicas e jurídicas afetadas pelas enchentes.

LIBERAÇÃO FGTS

Outro ofício (nº 004/2022) encaminhado pelo Município, desta vez direcionado à gerência regional da Caixa Econômica Federal, em  Governador Valadares, requer a autorização do acesso ao saldo das contas de FGTS pelos moradores das áreas que tenham sido atingidas diretamente pelo transbordamento do Rio Piracicaba no Distrito de Cachoeira do Vale e Bairros Santa Rita e Nova Esperança.

Segundo levantamento da Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social a estimativa é de que cerca de 3 mil moradores foram atingidos pela cheia do Rio Piracicaba, que causou prejuízos materiais em mais de 850 moradias. Dessa forma os recursos do FGTS seriam utilizados na recuperação dos imóveis danificados pela inundação. 

Fonte : PMT

Compartilhe: